A Importância do Setor Externo para a Dinâmica da Inflação Brasileira: uma estimação para o período 2001-2013

Karla Vanessa Batista da Silva Leite, Jennifer Hermann, Débora Pimentel

Abstract


Partindo da hipótese de que, a partir das políticas de liberalização dos anos 1990 e 2000, os fatores externos ampliaram sua importância na dinâmica inflacionária doméstica, o presente artigo estima uma equação de inflação para a economia brasileira, no período compreendido entre 2001 e 2013, com foco nas variáveis do setor externo. A estimação tem por base analítica o modelo de inflação de Simonsen (1970) e foi feita através dos modelos de Vetores Auto Regressivos Estruturais (SVAR) e de Defasagem Distribuída (ARDL). Os resultados da análise econométrica, nos dois modelos estimados, apontaram para a importância da taxa de câmbio, dos preços externos e da volatilidade cambial na explicação da evolução da inflação brasileira, entre 2001 e 2013. 


Keywords


Inflação; setor externo; economia brasileira.

References


ARAÚJO, E.; MODENESI, A. M. A Importância do Setor Externo na Evolução do IPCA (1999-2010): uma análise com base em um modelo SVAR. In: XXVIII Encontro Nacional de Economia. Salvador. 2010b.

BELAISCH, A. Exchange rate pass-through in Brazil. FMI. Working Papers, nº 141. 2003.

BRAGA, J. A inflação brasileira na década de 2000 e a importância de políticas não monetárias de controle. In: 39º Encontro Nacional de Economia da ANPEC. Foz do Iguaçu. 2011.

BRAGA, J. A inflação brasileira na década de 2000 e a importância das políticas não monetárias de controle. Economia e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 3 (49), p. 697-727, dezembro 2013.

DOORNIK, J. Autometrics. In: CASTLE, J.; SHEPHARD, N. The Methodology and Practice of Econometrics: A Festschrift in Honour of David F. Hendry. Oxford: Oxford University Press, 2009.

ENDERS, W. Applied econometric time series. 3. ed. New York: John Wiley&Sons, 2008.

ENGLE, F.; GRANGER, C. Co-integration and error correction: representation, estimation and testing. Econometrica, v. 55, p. 251-276, Março 1987.

FREITAS, F. N. P.; DWECK, E. The Pattern of Economic Growth of the Brazilian Economy 1970-2005: a demand-led growth perspective. In: LEVRERO, E. S.; PALUMBOAND, A.; STIRATI, A. Sraffa and the Reconstruction of Economic. New York: Palgrave Macmillan, v. 2, 2013. p. 157-198.

FUHRER, J. C. Inflation Persistence. Federal Reserve Bank. Working Paper, Nº 09-14. Boston. 2009.

GRANGER, C. Investigating causal relations by econometric models and cross-spectral methods. Econometrica, v. 37, p. 424-438, 1969.

GREENE, W. Econometric Analysis. 6. ed. New York: Macmillan , 2003.

HENDRY, D. F. Econometric methodology: a personal perspective. In: BEWLEY, T. F. Advances in econometrics. Cambridge: Cambridge University Press, 1987. Cap. 10.

HENDRY, D. F.; PAGAN, A. R.; SARGAN, J. D. Dynamic Specíficatíon. In: GRILICHES, Z.; INTRILIGATOR, M. D. Handbook of Econometrícs. Amsterdam: North-Holland, v. 2, 1984.

LEE, J.; STRAZICICH, M. C. Minimum LM unit root test with two structural breaks. Review of Economics and Statistics, v. 63, p. 1082-1089, 2003.

LOPES, F. L. Só um Choque Heterodoxo pode Derrubar a Inflação. Economia em Perspectiva. Conselho Regional de Economia de São Paulo. São Paulo. 1984a.

LUTKEPOHL, H. A new introduction to multiple time series analysis. Berlim: Springer Verlag, 2005.

MARTINEZ, T.; BRAGA, J. Crescimento liderado pelos salários, política monetária e inflação no Brasil. In: V Encontro Internacional da Associação Keynesiana Brasileira. São Paulo. 2012.

MODENESI, A. Regimes Monetários: Teoria e a Experiência do Real. Barueri: Manole, 2005.

RUBIO-RAMÍREZ, J.; WAGGONER, D.; ZHA, T. Structural vector autoregressions: Theory of identification and algorithms for inference. The Review of Economic Studies, v. 77, n. 2, p. 665-696, 2010.

SIMONSEN, M. H. Inflação: gradualismo versus tratamento de choque. Rio de Janeiro: Apec, 1970.

SIMS, C. Macroeconomics and Reality. Econometrica, v. 48, n. 1, p. 1-48, 1980.

ZIVOT, E.; ANDREWS, D. W. K. Further Evidence on the Great Crash, the Oil Price Shock and the Unit-Root Hypothesis. Journal of Business and Economic Statistics, v. 10, p. 251-270, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.33834/bkr.v2i1.41

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


Copyright (c) 2016 Karla Vanessa Batista da Silva Leite

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.